Política da Convergência

A revista Convergência Lusíada online dá continuidade ao projeto da revista impressa publicada pela primeira vez em 1976, visando especialmente a divulgação da cultura portuguesa no Brasil e ao estabelecimento de um espaço de diálogo interinstitucional e interdisciplinar em torno da língua portuguesa. Dessa data aos dias de hoje, com um total de 24 números publicados, a revista tem desempenhado exemplarmente esse papel, publicando estudos de pesquisadores portugueses e brasileiros, que muito contribuem para o intercâmbio de ideias entre Portugal e Brasil, especialmente.

Neste ano de 2011, em que se dá a passagem da mídia impressa para a mídia eletrônica, a Convergência Lusíada amplia o seu projeto constituindo-se como espaço de pensamento sobre literaturas de língua portuguesa. Essa mudança busca acompanhar a crescente e necessária circulação de ideias entre os países de língua portuguesa, sobretudo após o fim dos regimes fechados e a instauração de regimes democráticos. Além da troca entre as literaturas de língua portuguesa, a revista incentiva ainda estudos comparatistas com literaturas de outras línguas e estudos interdisciplinares cujo foco seja a cultura de língua portuguesa.

A Convergência Lusíada recebe artigos sobre relações dessas literaturas com a de outros países, de acordo com os temas de cada chamada amplamente divulgados e prazo determinado de envio. A publicação é semestral e em meio eletrônico. Publicam-se  artigos com o mínimo de 15 e o máximo de 25 páginas; resenhas de livros sobre as literaturas acima citadas, publicados nos últimos 2 anos, com o mínimo de 4 e o máximo de 6 páginas; entrevistas com escritores, professores, críticos e demais atores envolvidos com as mesmas literaturas, com um máximo de 6 páginas.

Todos os textos serão submetidos à análise da Comissão Executiva, que verificará a sua originalidade e pertinência, em relação à linha editorial do periódico, e os encaminhará ao Conselho Editorial e a pareceristas ad hoc, sob a forma de duplo anonimato, os quais poderão sugerir ao autor modificações de estrutura ou conteúdo.

Processo de Avaliação pelos Pares

Os textos recebidos são encaminhados, em caráter duplo-cego, a dois integrantes do Conselho Editorial e a pareceristas ad hoc, especialistas na área ou tema dos estudos, de modo a manter e a garantir a isenção de julgamento, este sempre pautado no mérito acadêmico. Em caso de divergência na avaliação, o texto é encaminhado a um terceiro avaliador, responsável pelo resultado final. Na avaliação de artigos e resenhas, são considerados os seguintes aspectos: adequação ao tema da revista; originalidade da reflexão; relevância para a área de estudo; atualização bibliográfica; objetividade e clareza de expressão e utilização de linguagem técnico-científica.

Chegada ao momento presente, em que se firma como publicação semestral, a Convergência Lusíada continua o seu caminho, fiel ao passado, aberta ao futuro. Boas leituras!